Skip to main content

A cada ano, o mundo da tecnologia avança um pouco mais no que diz respeito ao uso da tecnologia da informação, desde o aprimoramento da experiência dos usuários, até questões relacionadas à privacidade e cibersegurança. A Gartner tradicionalmente destaca os principais pontos a serem levados em consideração por quem atua neste mercado. E não podemos deixar de dar atenção aos insights promovidos pela consultoria, uma das mais renomadas no cenário global.

 

Especialmente aqui na UniSoma, as tendências apontadas pela Gartner para 2021 estão diretamente relacionadas ao nosso trabalho com Inteligência Artificial (IA), Machine Learning e o uso de Analytics como forma de melhorar experiências de gestão, planejamento e diversas outras atribuições em um negócio.

 

Tendências de Tecnologia para 2021

Além disso, o uso de ferramentas preditivas baseadas em IA também ajudam a visualizar melhor essas tendências na prática, dentro de cada realidade, em diferentes segmentos. Acompanhe as 9 tendências de tecnologia destacadas pela Gartner para 2021!

 

1. Internet de Comportamentos (Internet of Behaviors)

Além do já conhecido conceito de Internet das Coisas (em inglês, Internet of Things ou IoT), agora o conceito de Internet de Comportamentos (Internet of Behaviors ou IoB, no original), também ganha espaço, surgindo como uma forte tendência em 2021.

 

De acordo com o relatório da Gartner, IoB está relacionado ao uso de dados para alterar comportamentos, abrangendo não apenas os dados digitais, mas também aqueles encontrados no mundo físico, de forma que sejam usados para influenciar comportamentos por meio de ciclos de feedback.

 

Um dos exemplos trazidos pela consultoria são os carros. Enquanto a telemática pode monitorar comportamentos de direção, desde a frenagem repentina até os movimentos necessários para atravessar curvas agressivas, os dados coletados podem ser usados para melhorar o desempenho, o roteamento e a segurança dos motoristas.

 

As fontes para coletar esses dados são bastante variadas e podem incluir:

  • dados comerciais de clientes;
  • dados dos cidadãos processados pelo setor público e agências governamentais;
  • redes sociais;
  • implantações de reconhecimento facial em domínio público;
  • rastreamento de localização, entre outros.

 

2. Experiência total

Os conceitos de multiexperiência, experiência dos consumidores, experiência dos empregados e experiência do usuário passam a ser, cada vez mais, combinados em uma ideia de experiência total. A meta aqui é melhorar a vivência de cada ator com um produto ou serviço em todos os pontos de intersecção entre eles.

 

A lógica por trás disso é diferenciar um negócio de seus concorrentes, tornando-o único — ou, pelo menos, extremamente difícil de ter suas características replicadas. A influência da Covid-19 é nítida nesta tendência, conforme o próprio exemplo da Gartner.

 

Um cliente que se aproxima da sede de uma empresa pode ser avisado via app a respeito dos procedimentos necessários para entrar no estabelecimento, quanto tempo levará até que possa ingressar no ambiente de forma segura, entre outros aspectos.

 

3. Computação com aprimoramento da privacidade

Outra forte tendência apontada pela Gartner é a importância da privacidade no dia a dia dos usuários. A proteção de dados ocorre de três formas na computação com aprimoramento da privacidade (privacy-enhanced computation):

  • ambiente confiável no qual é possível processar ou analisar dados sensíveis;
  • processamento e análise de forma descentralizada;
  • encriptação de dados e algoritmos antes de os dados serem processados ou analisados.

 

Desta forma, torna-se viável o compartilhamento de dados de forma segura, especialmente levando-se em conta a entrada em vigor de leis de proteção que já vigoram em outros países e que, no caso do Brasil, passaram a valer em 2020, como a LGPD.

 

4. Nuvem distribuída

A nuvem distribuída — onde os serviços de nuvem pública são distribuídos para diferentes locais físicos, mantendo a operação sob responsabilidade do provedor — é considerada “o futuro” dessa modalidade de armazenamento e distribuição de arquivos. A expectativa é que isso reduza custos, além de mais facilmente obedecer a leis que determinam a manutenção dos dados em uma área geográfica definida.

 

5. Operação sem local definido

O conceito de “anywhere operations” ganhou força durante a pandemia. No caso do e-commerce, já se fala menos em “omnichannel” e mais em “anywhere channel”, ou seja, as marcas precisam estar preparadas para atender seus clientes em qualquer lugar — seja em lojas físicas, e-commerce, redes sociais, WhatsApp ou outros meios. Essa é mais uma tendência de 2021 que a Gartner destaca. Para a consultoria, “o modelo será vital para as empresas emergirem com sucesso da Covid-19”.

 

6. Malha de cibersegurança

Se o mundo se tornou ainda mais digital em 2020 (mesmo que de forma forçada, pela situação sanitária global), é natural que as ameaças em rede também tenham aumentado. É por isso que a malha de cibersegurança se tornou uma forte tendência em 2021. Com isso, passou a oferecer mais tranquilidade à transmissão de dados de forma escalonável, flexível e confiável.

 

Ela permite que o perímetro de segurança seja definido em torno da identidade de uma pessoa ou organização, tornando a vida digital menos suscetível a ataques.

 

7. Negócio inteligente combinável

A tradução para esta tendência é um tanto difícil. Mas “intelligent composable business” representa, basicamente, um negócio que consegue se reorganizar a partir de uma situação que esteja vivendo no momento. As transformações digitais são velozes, dinâmicas e, em alguns casos, motivadas por cenários difíceis de prever (como a pandemia).

 

Assim, as empresas que conseguirem se adaptar rapidamente e com inteligência a situações impostas de forma drástica serão as que alcançarão o sucesso no mercado. É nisso que acreditam os especialistas da Gartner.

 

8. Engenharia de Inteligência Artificial

A consultoria defende, ainda, a ideia de que uma engenharia de IA robusta é fundamental para que a performance, a escalabilidade e confiabilidade dos modelos de inteligência artificial sejam entregues de forma plena.

 

Levando-se em conta os desafios eventualmente enfrentados pelos projetos de IA, como as manutenções, escalonamento e governança, a engenharia pode oferecer um caminho que facilite o trabalho das organizações. E isso faz dela uma forte tendência para este ano.

 

Do mesmo modo, ter um processo de DataOps capaz de oferecer ainda mais qualidade e segurança na gestão de dados, como a UniSoma faz, pode ser um diferencial e tanto neste cenário.

 

9. Hiperautomação

Tudo que puder ser automatizado deve ser automatizado. Esse é o conceito de hiperautomação que ganha mais espaço em 2021, embora não chegue a ser uma novidade no mercado de tecnologia.

 

Ainda assim, de acordo com a Gartner, “muitas organizações são apoiadas por uma ‘colcha de retalhos’ de tecnologias que não são enxutas, otimizadas, conectadas (…)”. No entanto, o ritmo cada vez mais acelerado dos negócios digitais e do mercado como um todo (o que inclui os consumidores finais) exige eficiência e rapidez. A consultoria defende que as organizações que não tiverem esse foco serão deixadas para trás.

 

Assim, fica mais fácil direcionar os esforços em busca de melhores resultados em qualquer organização ao conhecermos as principais tendências para 2021. No caso da UniSoma, usamos IA e Analytics junto a nossos clientes para cruzar dados, analisar atributos e comportamentos dos consumidores, contextos em que ocorrem as compras e outras negociações. Além de detecção de fraudes e definição de onde fazer o próximo investimento fabril, entre outros fatores determinantes para um crescimento sustentável no futuro.

 

Quer saber mais a respeito de como a UniSoma pode ajudar o seu negócio com base nas tendências de tecnologia para 2021? Entre em contato conosco!

Conheça nossas soluções para o Network Design!

Leave a Reply