logo
Top

A inteligência artificial e os desafios da COVID-19

*Michel Duran

 

Desde a chegada da COVID-19, no início do ano, prejuízos estão sendo contabilizados em todo o mundo. Países sofrem com os impactos, enquanto esforçam-se para conter os danos causados. A dinâmica de empresas também está mais complicada do que nunca. Afinal, estamos diante de uma realidade não só imprevista, como imprevisível, que demanda um esforço muito maior das equipes para planejamento e operacionalização dos negócios. Um cenário que evidencia a inteligência artificial como uma grande aliada para direcionar e suportar a tomada de decisão em momentos tão voláteis.

 

Antes da crise, em tempos de “normalidade”, as vantagens em adotar soluções com inteligência artificial para suportar a tomada de decisão já eram quantificáveis em termos de tempo, qualidade, governança, dinâmica e integração, figurando como uma verdadeira evolução em relação aos métodos empíricos.

 

Agora, com o cenário crítico e volátil, possuir ferramentas baseadas em inteligência artificial tem sido sinônimo de êxito em desempenhos operacionais e financeiros de empresas. Enquanto a volatilidade do mercado diante de toda a situação atual não permite que as empresas se baseiem em dados históricos ou planos de longo prazo, novas decisões de negócios precisam ser tomadas praticamente todos os dias. É justamente aí que uma solução baseada em inteligência artificial tem sido decisiva para empresas.

 

Marfrig, Nexa e Tereos são três exemplos entre os clientes da UniSoma que reforçam minha afirmação e você vai entender perfeitamente os motivos.

 

Benefícios da solução analítica

Quando questionadas sobre os ganhos ao utilizar uma solução analítica da UniSoma, as três empresas são unânimes quanto a ampliação da capacidade em analisar dados rapidamente, de maneira organizada, e gerar simulações e decisões pautadas em dados.

 

Julianne Versiani, gerente de S&OP e Supply Chain da Tereos, explica que “a conexão e interação dos dados permitem que tanto as decisões táticas quanto as estratégicas sejam suportadas por informações e cenários que consideram premissas e restrições dos stakeholders que realmente entendem do processo e negócio”.

 

“Conseguimos fazer várias simulações em cenários diferentes para analisar quais são as variáveis que podem impactar no negócio e assim tomar melhores decisões, com confiabilidade no processo e robustez, dois fatores importantes da ferramenta”, aponta Plínio Porto, gerente de Planejamento de S&OP da Marfrig.

 

A flexibilidade, facilidade de adoção e implementação também são pontos de destaque. “Tornamos a ferramenta de uso cotidiano, apoiando tomadas de decisão em cenários de planejamento estratégico e orçamento”, destaca Adriano Castanheira, Commercial Concentrates & CoProducts da Nexa.

 

Enfrentando a crise

Ferramentas analíticas baseadas em inteligência artificial permitem testar teorias e preparar as empresas para diversos cenários – mesmo aqueles não mapeados nos históricos –, dando agilidade às tomadas de decisão e contribuindo para que sejam executadas no tempo correto.

 

“Como o câmbio é um influenciador direto do nosso negócio, com a ferramenta conseguimos rodar vários cenários de maneira que reduz a volatilidade e trava cenários um pouco mais previsíveis”, justifica Plínio.

 

“Testar esses cenários nos coloca em uma posição analítica embasada e diante de cenários operacionalmente factíveis. Faz com que as estratégias comerciais e financeiras andem mais próximas das operações e com isso as mudanças se tornem mais suaves”, esclarece Julianne. “A ferramenta nos ajuda a definir o momento das viradas de produção, de venda e quais mercados atender em detrimento de outro”, completa.

 

Com previsibilidade nula e incertezas para o segundo semestre, a Nexa prevê utilizar a ferramenta como suporte na reavaliação do budget, iniciando, já em maio, um novo ciclo de Planejamento Estratégico.

 

Pós-crise

Existe uma convicção de que as soluções baseadas em inteligência artificial serão cada vez mais demandadas no cenário pós-crise devido ao aumento dos níveis de confiança dos modelos gerados, os quais ampliam a segurança na tomada de decisões de negócios.

 

Independente se o cenário é de crise ou não, uma ferramenta de inteligência artificial com interface ágil, atualizações automatizadas, integração e elasticidade entre demandas e processos, fatalmente contribui para uma solução otimizada dentro das variáveis possíveis.

 

As empresas e seus projetos junto à UniSoma

 

  • Marfrig: Com uma oferta que consiste na suíte completa para planejamento analítico de vendas e operações (S&OP), a UniSoma atende a Marfrig desde 2015, fornecendo insights e previsões de demandas aderentes, que consideram tendências e sazonalidade de vendas. O modelo permite que agentes comerciais e de marketing colaborem no consenso dos planos de demanda, com informações atuais dos mercados, promoções, variações de preço, entre outros. Desta forma, os planos de operações da cadeia são feitos de maneira integrada, melhorando o resultado corporativa da empresa.
  • Nexa: O desafio de tomar decisões complexas e com múltiplas restrições e variáveis envolvidas referentes à compra e distribuição de minério de zinco ao redor do mundo foi o que aproximou a Nexa da UniSoma, em 2017. A solução consistiu, inicialmente, em um otimizador único, que coletava informações, consolidava os cenários e distribuía os resultados para análise dos vários interessados na empresa. Atualmente, uma nova arquitetura está em discussão, que permita o uso da ferramenta de forma distribuída entre todos os compradores, o que deve ampliar a atividade analítica na Nexa.
  • Tereos: Cliente da UniSoma desde 2016, a Tereos conta com uma solução de planejamento modularizado e integrado da cadeia sucroalcooleira, capaz de descomplicar e dar agilidade o processo dos ciclos mensais de S&OP, com a geração de planos de produção, venda e armazenagem. A ferramenta proporciona análises “What-if”, fazendo com que ideias, dúvidas, possibilidades, mercados, níveis de preços e demais aspectos do negócio sejam explorados e questionados, embasando as decisões táticas de industrialização e colheita, maximizando o resultado.

 

Se a sua empresa ainda não tem uma estrutura de decisões baseada em ferramentas de inteligência artificial, você pode até me questionar se vale a pena fazer esse tipo de investimento agora, que a crise está deflagrada. A minha resposta será SIM! O quanto antes você olhar para sua estrutura e adotar mecanismos inteligentes de proteção às suas operações, mais bem preparado você estará para lidar com os desafios atuais e futuros, que certamente irão surgir.

 

Com muito conhecimento e experiência em inteligência artificial, a UniSoma é a parceria ideal para te apoiar neste tipo de desenvolvimento. Seja para minimizar os riscos e impactos decorrentes da COVID-19 ou para estruturar os negócios para depois da crise, entre em contato e saiba como nossas soluções podem te ajudar a proteger o seu futuro.

 

*Michel Duran é Gerente de Marketing e Vendas da UniSoma

É Bacharel em Matemática Aplicada e Computacional pela Unicamp e possui MBA em Gestão de Empresas pela ESPM.