logo
Top

Papel das ferramentas analíticas na melhoria de processos

Reduzir o desperdício. Independente de qual seja o setor de atuação da sua empresa, este tema é unanimidade entre os gestores nos dias atuais. Isso porque, desperdício significa que existe ineficiência em relação a alguma parte do processo produtivo e que, fatalmente, isso vai impactar na performance e afetar os resultados. A boa notícia é que este tipo de situação, por mais arraigada que pareça estar em certas empresas, tem solução – e ela passa pela revisão de processos, combinada a ferramentas analíticas. Conversamos com Diego Moretti, Diretor Comercial da Nortegubisian, consultoria voltada à melhoria de processos e excelência organizacional com base em lean thinking e six sigma, para esclarecer o potencial das técnicas quando aplicadas em conjunto.

 

Começamos pela definição de processo de negócio como qualquer função que a empresa realiza regularmente, envolvendo uma entrada, uma alteração e uma saída. É o caso do S&OP, Sales & Operation Planning, ou Planejamento de Vendas e Operações, que engloba decisões ao longo de toda a cadeia. Embora muitas empresas tenham áreas dedicadas à melhoria e à gestão de processos, ainda é grande a parcela que padece com ineficiências, normalmente traduzidas em estoques excessivos, retrabalho, problemas de qualidade, lead time alto, entre outros.

 

Melhoria de processos

A melhoria de processos busca entender onde estão os gargalos da operação e propõe medidas para corrigi-los. Começa analisando todas as etapas produtivas, com isenção e excelência, por meio da aplicação de ferramentas de diagnóstico e mapeamento. “E, a partir da reunião dos resultados dessas análises, estabelece melhores processos e procedimentos para gerar mais fluidez, aumentar a eficiência, reduzir custos, os erros e o desperdício”, esclarece Diego.

 

Acontece que, dependendo da especificidade do padrão de demanda ou da maturidade da empresa em questão, os modelos de melhorias de processos disponíveis no mercado podem não ser suficientes para entregar uma solução suficientemente robusta. Nestes casos, ferramentas auxiliares são acionadas para complementar uma oferta.

 

Plus: ferramentas analíticas

Imagine uma situação de estoque elevado no ambiente produtivo, calculado sob parâmetros superdimensionados em decorrência da falta de clareza na visibilidade da demanda. Diego explica que “é o que costuma acontecer quando a empresa não conta com técnicas adequadas de previsibilidade, gerando incertezas que se traduzem na necessidade de estabelecer estoques de segurança maiores”.

 

Neste caso, há três caminhos possíveis: o primeiro é seguir na inércia, não tomar nenhuma atitude e continuar agindo baseado em análises empíricas e no “achismo”. O segundo é buscar um parceiro de melhoria de processos, que traga ferramentas para parametrizar adequadamente os estoques, defina gatilhos de compra e estoques mínimos e máximos, sendo que a qualidade da entrega estará diretamente relacionada aos dados e histórico corporativos que ele conseguir coletar. E o terceiro é combinar ferramentas analíticas customizadas à iniciativa da melhoria de processos, buscando entender a curva de demandas e criar modelos assertivos de planejamento e predição, reduzindo o erro do cálculo de parâmetros e minimizando o estoque de segurança ao máximo.

 

Quando você opta por sistematizar uma melhoria de processos a uma ferramenta de advanced analytics, os ganhos disparam em termos de segurança de dados, governança, automatização e processo decisório, além de todas as vantagens de evoluir de um método empírico para o analítico na tomada de decisões.

 

Ciclo da melhoria contínua

Segundo o diretor comercial da Nortegubisian, a melhoria de processos integrada à otimização via ferramentas analíticas resulta em ciclo de avanços positivos para toda a operação.

 

Um caso real: Tereos

A produção de açúcar e álcool é realizada sob um cenário de alta complexidade, que sofre influências de dados voláteis de diferentes tipos e demanda análises integradas para um melhor processo decisório. Probabilidade de chuva, qualidade de solo, valor das commodities mundiais e variação do dólar, além de aspectos internos como a identificação de o que produzir, em qual usina e em qual momento, buscando sempre a melhor combinação diante da demanda do mercado.

 

Este era o desafio enfrentado pela Tereos Açúcar & Energia Brasil e que foi solucionado pelo consórcio formado pelas parceiras comerciais Nortegubisian e UniSoma. Elas foram escolhidas para entregar uma ferramenta de otimização capaz de analisar os diferentes processos e variáveis simultaneamente e dar as melhores respostas e insights de acordo com a modelagem matemática, viabilizando melhores decisões de negócio e, consequentemente, melhor performance.

 

Você, melhor do que ninguém, sabe que o desperdício custa caro para a sua empresa e que estoque maior do que o necessário significa capital parado e prejuízo ao fluxo de caixa. Imagine os reflexos nos seus resultados se sua operação puder investir parte dos ganhos decorrentes de melhorias de processos em pesquisa e desenvolvimento ou em ações para a aquisição de novos clientes? Adotar uma abordagem que incorpore analytics e inteligência de negócios é a maneira mais confiável de fazer melhorias duradouras e aprimorar os processos na sua empresa e, para isso, você só precisa contar com os parceiros corretos.

A UniSoma desenvolve ferramentas analíticas de otimização sob medida e totalmente em sinergia com as iniciativas de sua parceira comercial Nortegubisian, especializada em melhoria de processos e excelência operacional. Conheça como, juntas, ambas podem revolucionar a gestão de seus processos produtivos e otimizar seu processo de S&OP.