logo
Top

Tereos mantém agilidade e confiança nas decisões, mesmo diante da pandemia

À medida que o mundo enfrenta a pandemia da COVID-19 e avalia os impactos em todos os setores da economia, as empresas procuram maneiras de proteger o futuro de seus negócios. A Tereos, terceira maior produtora de açúcar no mundo, reconhece que a capacidade de tomar decisões boas e oportunas é fundamental para suportar o desempenho diante da crise e direcionar sua trajetória no retorno ao dito “novo normal”.

Desde 2016, suportada por uma ferramenta de planejamento integrado desenvolvida pela UniSoma para otimizar os esforços produtivos da cadeia sucroalcooleira, a Tereos vê na solução analítica uma aliada para mapear caminhos de forma estruturada e gerenciar a volatilidade do cenário atual.

O setor já lida, tradicionalmente, com um desafio operacional decorrente de um conflito de objetivos entre a parte agrícola e industrial. Enquanto a parte agrícola foca na qualidade, como o teor de sacarose do canavial, a industrial guia suas decisões de acordo com o desempenho. É justamente neste ponto que o otimizador atua: fazendo com que diferentes setores “falem a mesma língua” e persigam os mesmos objetivos em busca do melhor resultado.

A solução analítica para S&OP

A ferramenta de modelagem matemática desenvolvida para a Tereos amplia a capacidade de cruzamento de informações, áreas, pessoas e dados, tornando a manutenção dos ciclos mensais de S&OP (Sales and Operation Planning, ou Planejamento de Vendas e Operações) mais ágil e descomplicada. Por meio da inteligência artificial, a solução analisa a cadeia produtiva de ponta a ponta, da cana até o produto acabado, e busca as melhores sugestões de planos segundo inúmeros critérios.

Os algoritmos de inteligência artificial viabilizam que os planos mensais de produção, venda, armazenagem, decisões de industrialização e colheita, tanto de nível tático quanto estratégico, sejam suportadas por dados e cenários considerando as premissas e restrições de todos os stakeholders que entendem do negócio.

O processo segue a seguinte dinâmica:
  1. Reuniões de consenso entre áreas – comercial, agrícola, logística, produção – a fim de entender as mudanças em relação ao período anterior em termos de mercado, clima, matéria-prima e outras variáveis;
  2. Inclusão de todos os inputs na ferramenta analítica, que roda uma média de 60 cenários por ciclo de planejamento;
  3. Análise e filtro dos cenários que fazem mais sentido ao momento do negócio pelo comitê executivo;
  4. Envio à diretoria para a última análise e chancela das decisões.

A ferramenta também proporciona análises “what-if”, fazendo com que as diferentes ideias, dúvidas, possibilidades e níveis de preços sejam explorados e questionados, com foco no melhor resultado possível. Desta forma, facilita as decisões da diretoria, que são tomadas com base em dados e análises de sensibilidades para, posteriormente, serem transformadas em planos operacionais, estabelecendo-se como um ciclo de melhoria contínua.

Importância da ferramenta diante de um cenário complexo

A complexidade do momento atual e a imprevisibilidade de certezas quanto ao futuro ampliam os desafios da rotina corporativa, tornando a ferramenta de otimização, suportada pela inteligência artificial, indispensável à rotina da empresa, já que permite testar teorias e se preparar para diferentes problemas e possibilidades rapidamente.

Enquanto em um período de “normalidade” as rodadas de cenário aconteciam a cada 15 dias, agora a dinâmica segue um processo de rodadas diárias, com validações semanais e mensais, para mais precisão e agilidade à empresa nas tomadas de decisão. Cabe também destacar o timing das decisões, com a indicação precisa das viradas de produção, vendas e definição de quais mercados atender em cada momento.

A ferramenta tornou-se um verdadeiro gerador de informações, cenários e insigths para a diretoria e executivos testarem hipóteses e se prepararem para cenários diferentes não mapeados nos históricos. “Testar esses cenários nos coloca numa posição analítica embasada e construindo situações operacionalmente factíveis. Faz com que as estratégias comerciais e financeiras andem mais próximas das operações e com isso as mudanças se tornem mais suaves”, ressalta Julianne Versiani, gerente de S&OP da Tereos.

Futuro

A expectativa para o futuro é que as ferramentas analíticas sejam cada vez mais demandadas pela alta direção, devido ao crescente aumento no nível de confiança em relação aos modelos matemáticos e ao reconhecimento da importância de análises de cenários para tomadas de decisão mais assertivas.

As ferramentas devem ser estruturadas para lidar com cenários cada vez mais voláteis, com interfaces ágeis e modelos visualmente didáticos, que fomentem a interação das áreas, e tangibilizem as vantagens da otimização e machine learning, por exemplo, conceitos que estão ganhando força entre os comitês executivos.

UniSoma: uma parceira confiável

“Ter a UniSoma como parceira faz toda a diferença”, aponta Julianne, ao explicar que a empresa fornece não só a ferramenta, como todo o suporte necessário ao desenvolvimento, implantação e manutenção do software, que resulta em uma entrega que, de fato, agrega aos resultados dos negócios.

“É uma empresa que vê valor na agilidade da tomada de decisão, tem profissionais muito capacitados e analíticos, que aprendem sobre o negócio do cliente e contribuem não apenas com a parte técnica de desenvolvimento do modelo matemático, como também com o negócio, trazendo soluções inovadoras e criativas”, detalha.

Quer entender como obter as vantagens de se usar uma solução analítica desenvolvida sob medida para os seus desafios? Entre em contato com a UniSoma!