logo
Top

Como garantir soluções aderentes às necessidades dos clientes? O papel do Analista de Requisitos

Imagine dois pontos separados por um obstáculo qualquer. Estruturalmente, qual a melhor solução para ligar um lado ao outro? Uma ponte provavelmente seja a melhor resposta. Mas calma, não se engane pela referência direta. Apesar da alusão à construção civil, o tema aqui é tecnologia da informação. Mais especificamente, uma figura essencial ao processo de desenvolvimento, responsável justamente por fazer a ponte entre o cliente e a equipe de desenvolvimento interna: o Analista de Requisitos. Este profissional tem como função entender o problema a ser resolvido, a forma como a solução deve se comportar, o que o cliente espera de suas funcionalidades e deve ser capaz de traduzir tudo isso ao time de desenvolvimento.

 

É assim que o Analista de Requisitos contribui para gerar mais valor: conhecendo profundamente todo o processo do cliente, incluindo sua complexidade e requisitos, para que haja sucesso na entrega do sistema e atenda às reais necessidades e demandas identificadas.

 

Para nós, está claro que contar com um Analista de Requisitos faz toda a diferença para a execução dos  projetos. Na UniSoma, é esse profissional que faz a ponte entre a equipe de desenvolvimento e o cliente, gerenciando e facilitando a execução das tarefas, otimizando o fluxo de dados e as relações de trabalho entre as diferentes equipes. Isso impacta em termos de qualidade, prazo e custos.

 

 

Como o Analista de Requisitos atua?

Compreender claramente as necessidades do cliente começa com o estudo do perfil da empresa, sua atuação e o tipo de problema a ser resolvido. Também é preciso entender, junto à nossa equipe de desenvolvimento, os desafios que estão envolvidos.

 

Assim, o Analista de Requisitos conduz entrevistas com as diferentes áreas do cliente, desde aquela que de fato utilizará o sistema, passando por outras que influenciam direta ou indiretamente o processo da empresa. Cabe ao Analista de Requisitos imaginar a solução que está sendo demandada, antevendo possíveis problemas, impactos ou necessidades de conexões com outros sistemas. Todas as informações e requisitos coletados são reunidas e especificadas em um relatório formal que servirá como base para o time de desenvolvimento, com diretrizes e prioridades para serem projetadas e codificadas.

 

Ainda que a maior atividade esteja concentrada no início do projeto, os analistas de requisitos seguem envolvidos para garantir que o trabalho atenda às premissas identificadas à medida que o desenvolvimento acontece. “Ele precisa estar em constante contato com o cliente para entender suas reais necessidades, se a demanda está coerente com o que gera valor e para checar se algo mudou no processo para passar as informações ao time de desenvolvimento”, explica Gabriela Furtado, analista funcional na UniSoma. Uma situação bastante comum é a identificação da necessidade de desenvolvimento de uma funcionalidade não prevista no meio do processo. “É o analista de requisitos que vai identificar qual caminho é mais aderente às necessidades do cliente”, assegura Gabriela.

 

O Analista de Requisitos na UniSoma

 

Vários profissionais podem atuar como analista de requisitos em diferentes partes do projeto e, portanto, não dedica exclusivamente uma pessoa à esta função. Mas entendemos que este profissional deve possuir um perfil crítico e analítico, capaz de atuar para conhecer a fundo o problema do cliente e as suas necessidades. “Desta maneira, o analista de requisitos é capaz de fazer as perguntas certas para obter o maior número de informações que serão utilizadas para o desenvolvimento do sistema”, esclarece Gabriela.

 

Algumas das competências do Analista de Requisitos da UniSoma:

  • Pensamento crítico: capacidade de questionar situações de projeto, compreender o negócio do cliente e o contexto das tarefas que estão sendo executadas.
  • Ótima comunicação interpessoal: escrever bem e se fazer entender tanto pelos colegas, quanto pelos clientes, inclusive via canais eletrônicos (e-mail, chat, etc.). Outro ponto importante é comunicar claramente às equipes de desenvolvimento a funcionalidade necessária para suportar os requisitos.
  • Conhecimento técnico: entendimento de arquitetura, modelagem de banco de dados, tecnologias utilizadas, a maneira como o projeto está estruturado e a forma como ele será desenvolvido.
  • Habilidade para identificar riscos e oportunidades no sistema: o contato direto com o cliente viabiliza entendimento de outras oportunidades e de compreender se algo que foi solicitado pode ter algum risco mediante ao que já foi desenvolvido. O quanto antes um problema for detectado, mais fácil e barato é para resolvê-lo.
  • Metodologias de abordagem de problemas: conhecimento de métodos e processos, como o Design Thinking.
  • Equilíbrio: ter a habilidade para balancear o nível de detalhamento colocado na documentação, não técnica demais que inviabilize o entendimento por parte do cliente e nem superficial demais que possa gerar erros de interpretação no desenvolvimento do sistema.

 

Além de fazer o “meio de campo” entre o cliente e a nossa equipe de desenvolvimento, o analista de requisitos da UniSoma tem a missão de fazer com que a experiência do cliente, durante todo o processo de desenvolvimento da solução seja a melhor possível.

 

Para nós, o papel do Analista de Requisitos é fundamental e estratégico. Há mais de 35 anos a UniSoma desenvolve soluções sob medida para empresas líderes de mercado. Trabalhamos para entregar o máximo de valor em cada projeto, e trabalhamos para que as soluções sejam completamente aderentes e moldadas pelas necessidades de cada cliente.